Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

o mundo quieto

o mundo quieto

Apontamentos #4


A pianista Martha Argerich recorda-me dos corpos femininos de Paula Rego. Torso e membros largos. As mãos que completam os grossos antebraços, lembram um gigantismo de fábulas; dramáticos os nós que ligam os metacarpos às falanges proeminentes. Mas em todos esses corpos pressente-se um halo etéreo, uma silente magia por descobrir, que nos impele e ao mesmo tempo arrebata.

Depois acontece o movimento. E como alguém que tenha apertado o botão de um mecanismo oculto, as mesmas mãos esteticamente brutas revelam-se capazes da mais harmoniosa dança sobre as teclas, muitas vezes impiedosas e rudes, mas quase sempre delicadas e afectuosas. São mãos de mãe que tratam a ferida do filho que se magoou a brincar nos campos. Mãos que ao mesmo tempo repreendem e apaziguam.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D