Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

o mundo quieto

o mundo quieto

#37

DSC_3599_baixa.jpgWash me away

clean your body of me

erase all the memories

they will only bring us pain

and I've seen all I'll ever need

 

Matthew Bellamy

#35

DSC_8915.jpg

 dizes: põe nos meus os teus dedos

e passemos os séculos sem rosto,

apaguemos de nossas casas o barulho

do tempo que ardeu sem luz.

sim, cria comigo esse silêncio

que nos faz nus e em nós acende

o lume das árvores de fruto.

 

Vasco Gato

#32

DSC_8254.jpg

 Há por aqui outras paisagens?, perguntam por vezes as crianças.

Eu parto o caminho em pedaços e ofereço-lhes

Serpentinas, serpentinas, que elas recebem como maçãs e papoilas.

Porque tempos houve em que dormíamos nas palavras,

Tempos houve em que fazíamos explodir o tempo.

 

Robert Schindel

#31

DSC_8927.jpg

 e à chegada da noite, tépidas brisas

acariciam as árvores. Imaginamo-las os nossos

corpos despidos, dançando nas sombras

#20

DSC_0465.jpg

nasce com o rumor dos próprios corpos

com o bater dos nomes entre os ombros

tão dóceis mar de músculos

 

Gastão Cruz

#18

DSC_5066.jpg

Trazem as árvores insignificantes

o maior distúrbio aos ventos; arredam-nos,

alçam outros armazéns sonoros

casas de relâmpagos e de cataclismos.

 

Luiza Neto Jorge

#16

DSC_4376.jpg

Quando a embriaguez chegar

adormeceremos na montanha selvagem,

o céu por cobertor,

a terra por almofada.

 

Li Bai

#15

DSC_5447.jpg

Ficarão para sempre abertas as minhas
salas negras.
Amarrado à noite,
eu canto com um lírio negro sobre a boca.

 

Herberto Helder

#14

CSC_0487.jpgpartir de novo seria tudo esquecer

mesmo a ave que de manhã vem dar asas à boca recente do sonho

mas decidi ficar aqui a olhar sem paixão o lixo dos espelhos

onde a vida e os barcos se cobrem de lodo

 

Al Berto

#11

DSC_6870.jpg

 Escrevo-te com o fogo e a água. Escrevo-te

 no sossego feliz das folhas e das sombras.

Escrevo-te quando o saber é sabor, quando tudo é surpresa.

 

António Ramos Rosa

#7

DSC_6822.jpgUma noite apenas -

escrevemos sobre a mão uma casa decisiva.

Depois os dedos são uma floresta restituída à árvore.

 

Jorge Fallorca

#5

DSC_8249.jpg(já não chego à claridade, nem sequer para a não ver: o mundo está todo partido.

Ando por paisagens cheias de zonas de incerteza)

 

Rui Nunes

#3

DSC_3235.jpg

 Deve ser o mendigo à minha porta
  e a casa posta à venda.
Devo ser o chão que me recebe
  e a árvore que me planta.

 

Daniel Faria

#2

DSC_3718.jpgA manhã que vem depois dessa melodia

é a mesma que nos faz esquecer

os húmidos murmúrios das estações.

 

Catarina Nunes de Almeida

Mais sobre mim

imagem de perfil

Posts mais comentados

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D